O fim do Software Livre no governo e o que você perde com isso!

O governo federal, através do ministério do planejamento pretende realizar uma mega compra de licenças da Microsoft, com mudanças na política de software livre adotada no governo.

A justificativa foi maior segurança, mas para quem conhece a filosofia do software livre, sabe que o sistema proprietário o código é fechado, os “especialistas” do governo não poderão verificar como os algoritmos funcionam e se realmente cumprem o que prometem, porém, o software livre tem-se total acesso ao código fonte, podendo adaptar-se à realidade dos órgãos e com trabalho sério, aumentar a segurança.

Vale lembrar que as Revelações do Edward Snowden, acirrou os investimentos em segurança, demonstrando que empresas públicas e privadas devem priorizar a proteção de suas informações neste mundo altamente interconectado. Edward Snowden indica o uso de soluções livres, o Linux Tails por exemplo, para garantir segurança das informações, justamente por não confiar em softwares proprietárias, caindo por tema a justificativa do governo. Vale lembrar que Edward Snowden, revelou que a presidente Dilma Rousseff foi espionada pelo governo americano e que este possuía acordos com empresas como Microsoft e Google, que forneciam informações ao governo americano.

Saiba como garantir privacidade total com dicas simples e efetivas, descritas por Edward Snowden.

A Microsoft garantiu total transparência, através da criação do Centro de Transparência, em Brasília, com objetivo de “promover a computação segura” e “atender necessidades específicas do poder público”. Através deste centro, a empresa vai permitir o governo realizar revisões e auditorias nos códigos fontes dos sistemas para combater ameaças online, conforme informações da própria empresa. Mesmo com todo empenho da Microsoft, o governo não terá um controle efetivo sobre o código-fonte dos sistemas e o sistema continuará proprietário.

Nesta reportagem do estadão, coluna Link – Código Aberto Nelson Lago comenta:

É no mínimo curiosa a escolha da Microsoft para cuidar desse assunto. A empresa não é especializada na área de segurança, e há diversos questionamentos a respeito de aspectos relacionados à privacidade dos usuários em relação a seus produtos; além disso, trata-se de empresa multinacional, que passará a ter, direta ou indiretamente, acesso a informações confidenciais ao longo de seu trabalho com segurança em parceria com o governo brasileiro; e, talvez mais importante, o governo federal tem, ou deveria ter, uma política que privilegia o software livre, que também não é área de expertise da Microsoft.

O Governo, através do Ministério do Planejamento demostrou interesse em comprar as licenças, através de registro de preços, confira neste documento.

 

É importante Software Livre no governo?

Existem muitos motivos para o uso do software livre no governo, dentro os quais o principal é o controle que o governo possui sobre o código fonte da aplicação, gerando ganho em segurança e privacidade.

O grande problema no serviço público é que não é realizado um planejamento eficiente, no caso das soluções livres, tudo é realizado sem cronograma, sem um plano adequado, o que gera resistência por parte dos usuários que acabam se afastando das tecnologias livres.

Todo projeto deve ser bem estruturado, com rotinas de testes, num ambiente simulado, com um feedback contínuo por partes dos usuários leigos, que efetivamente utilizarão os sistemas, para que no momento da liberação em ambiente de produção, os erros e falhas sejam contornados com mais rapidez.

Em servidores e data centers, principalmente servidores web, a maioria dos sistemas são livres baseados em Linux, não justificaria mudanças para software proprietário, é andar para trás.

Outro motivo são os curtos envolvidos, mesmo envolvendo consultorias e profissionais da área para implantação das ferramentas o custo é bem reduzido, além de privilegiar a formação de know-how no Brasil e não buscar soluções estrangeiras, que por sinal, conta com suporte externo, muitas vezes deficitário.

É necessário criar programa de incentivo ao software nacional, com objetivo de tornar o Brasil referência e não gastar milhões em uma empresa estrangeira e deixar de gerar empregos e renda no Brasil, existem muitos profissionais capacitados, que não são valorizados como deveria (veja a imagem abaixo).

Valorizacao Profissional TI

 

O que a sociedade perde com essa decisão?

Mesmo para quem não trabalha e não conhece benefícios do software livre, é seu o dinheiro que será utilizado para comprar milhões em licenças desnecessárias, neste momento de crise econômica, com cortes de verbas para áreas prioritárias (saúde, educação e segurança).

Se a meta do governo, como preconiza a PEC dos gastos públicos é limitar investimentos e cortar gastos, seria um tiro no pé um investimento alto em licenças de Software.

Não podemos ficar à mercê de lobistas e empresas que influenciam as decisões do governo, que ficam amarrados em soluções proprietárias que ficam fora do Brasil. É preciso mudar essa realidade e sair da zona de conforto.

 

Será que a Microsoft está por trás desta decisão ou foi mera “discricionariedade” do governo federal?

E você o que pensa das decisões tomadas pelo governo atual, referente a política de software livre?

 

Confira outros artigos relacionados:

Software Livre na Educação

InProprietário – O mundo do Software Livre

Computação Forense com Software Livre