Excesso de informação x ansiedade, o mal do século.

Você é um viciado em informação?

Vivemos a era da informação. Todos os dias somos bombardeados com uma enorme quantidade de informação, uma nova tecnologia, versão de um novo sistema, uma nova linguagem de programação, a cada segundo a mídia nos coloca em situações que precisamos nos adaptar, buscar soluções rápidas para não sermos prejudicados. São tantas coisas que fazemos no nosso dia a dia, que temos a percepção de que não vamos dar conta de tudo e que o tempo fica cada vez escasso.

A informação é importante para muitos profissionais, inclusive da área de TI para a realização dos projetos e atividades, todos precisam manipular a cada dia muitas informações: o jornal diário, um e-mail, uma matéria importante, uma nova tecnologia, acabar aquele artigo para a revista, visitar um cliente, fazer isso, aquilo e mais um pouco, quem não fica ansioso?

Segundo artigo da revista Superinteressante (nov. 2008), não existe um significado concreto sobre o tema, mas Sigmund Freud, no século 19, falou que a ansiedade é um medo de “algo incerto, sem objetivo”. O significado mais aceito hoje em dia vem do psiquiatra australiano Anubrey Lewis que, em 1967, descreveu o termo como “um estado emocional com a qualidade do medo, desagradável, dirigindo para futuro, desproporcional e com desconforto subjetivo”.

É comum as pessoas se sentirem intimidadas e impotentes frente a enorme quantidade de informações existente a sua volta, e buscarem, portanto, mais e mais informações na vã tentativa de suprir suas inseguranças. O problema é que tais sentimentos de impotência agravam os sintomas de ansiedade que, por sua vez, reduzem a capacidade de aprender, gerando mais ansiedade e fechando o círculo vicioso.

Você é viciado em internet?

No infográfico abaixo é demostrado a dieta de consumo de mídia em 24 horas do americano, publicado pela Wired o artigo mostra o consumo de mídia e o quanto é importante manter um consumo saudável, priorizando a qualidade nas informações recebidas. O controle e produtividade é fundamental.

Consumo de mídia - dieta informação

Tudo que foi descrito são sintomas típicos da ansiedade, você é ansioso? Está contando os minutos para acabar esse artigo, pois é, a maioria das pessoas tem que manipular muitas informações, o que leva a pensamentos ruins, de que não estão dando conta do recado, o que acaba gerando stress e aquela tão mal desejada úlcera no estômago.

O excesso de informação é uma doença?

O excesso de informação nos torna dependentes (porém ainda não é considerada doença), a chamada síndrome da fadiga informativa (ou síndrome da informação), a pessoa ocupa a mente com várias coisas ao mesmo tempo e perda a capacidade de processar o que está fazendo, aumenta o nível de stress. Os sintomas dessa síndrome se afloram, quando pessoa não consegue dormir, não quer perder tempo e quer continuar consumindo informações, passa horas lendo, demora muito para se “desligar”, vagueia em várias fontes de informação e não absorve nada, sempre com a sensação de que está se tornando inútil, imprestável, ultrapassada.

Se você apresenta alguns dos sintomas abaixo, cuidado, é preciso desacelerar:

  1. Por mais esforço que faça, não consegue sentir-se atualizado com o mundo a sua volta;
  2. Sente-se culpado cada vez que olha para a pilha de jornais e revistas e o volume de e-mails recebidos que não conseguiu ler;
  3. Fica abatido quando uma pesquisa na Internet resulta num documento de dezenas de páginas, pois acredita que, se não ler todas elas, não saberá tudo o que deve sobre o assunto;
  4. Acena afirmativamente, sem convicção, sempre que alguém menciona um livro, um filme ou uma notícia de que você, na verdade, nunca ouviu falar;
  5. Sente-se envergonhado quando o eterno sentimento humano de ansiedade diante do desconhecido começa a tomar uma forma óbvia nestes tempos em que a informação vale mais que qualquer outra coisa.

É importante destacar que a tentativa de apreender muitas informações ao mesmo tempo prejudica a capacidade de fixação mnemônica dessas informações e, consequentemente, a consolidação do aprendizado, o que atrapalho muito o rendimento e a produtividade.

O Psicólogo criador do conceito de Síndrome da Fadiga Informativa, David Lewis, autor do texto “Morrendo pela Informação? ”, afirma que o excesso de informação paralisa a capacidade analítica e aumenta dúvidas, angustias e ansiedades. Descrevendo os efeitos da sobrecarga de informações sobre um indivíduo, David afirma que esta condição pode gerar estresse, ansiedade, tensão, distúrbios de sono, problemas digestivos, dificuldade de memorização e irritabilidade.

Parece que estou descrevendo a rotina de quem está lendo esse artigo e inclusive a minha, mas não temos como fugir do excesso de informação, é necessário, o mundo está mudando e as decisões devem ser tomadas mais rapidamente. Desligar um pouco é um santo remédio.

Existe uma solução? Sim!

O americano Richard Saul Wurman, autor dos livros Ansiedade de Informação e Ansiedade de Informação2, sugere que as pessoas encarem o mundo como um grande depósito de material de construção. E o que fazer com a matéria-prima? Ora, diz ele, seja um arquiteto de sua própria catedral de conhecimento. A arma para isso é a “ignorância programada”, ou seja, a escolha criteriosa do que se quer absorver. O resto deve ser deixado de lado, como o compositor que intercala pausas de silêncio entre as notas para que a música faça sentido aos ouvidos. “A ansiedade de informação é o buraco negro que existe entre os dados disponíveis e o conhecimento. É preciso escapar dela”, observa Wurman. Ou, ao menos, não deixar que ela assuma proporções dolorosas para quem precisa ultrapassá-la no dia a dia.

O ideal para todo profissional é reservar um tempo diário para planejamento, para definir as tarefas e projetos que sejam colocados em prática, no curto e longo prazo, colocando corretamente as prioridades e controlando o tempo e as informações que recebe diariamente.

Pense e avalie como está seu dia a dia, organize suas tarefas, estabeleça prioridades, como falo sempre em meus artigos “Planejamento é a chave para o sucesso”, por isso coloque tudo que for realizar no papel, identificando o que realmente é importante e prioritário, garanto que seus dias serão bem mais sadios.

Mude seu estilo de vida, defina limites e priorize as informações, uma dica é utilizar o método GTD (Getting Things Done), um método de produtividade pessoal desenvolvido por David Allen, é um método de gerenciamento de ações, na qual o usuário define o que é importante e prioritário para o momento e para o futuro. No final do artigo cito alguns apps que uso no meu dia a dia.

Confira algumas dicas simples para aliviar a ansiedade causada pelo excesso de informação:

  1. Organize seu dia, fazendo um planejamento diário de suas tarefas;
  2. Defina horários para checar e responder seus e-mails;
  3. Organize seus compromissos numa agenda, seja ela digital ou física;
  4. Estabeleça horários para entrar em redes sociais;
  5. No momento de descanso e relaxamento, ouça uma música calma e esqueça o computador e o smartphone;
  6. No momento de estudo, concentre-se nos pontos mais importantes;
  7. Exercícios físicos são recomendados, desde que sejam prazerosos;
  8. Saia um pouco da rotina nos finais de semana, descanse e relaxe;
  9. Procure perceber os sinais do seu corpo e o momento em que ele requer um recolhimento, diminua a agitação e o gasto excessivo de energia vital;
  10. Lance mão de automassagens e técnicas de respiração;
  11. Busque mais qualidade de vida e bem-estar para ter uma vida mais saudável e boa longevidade.

 

Minha opinião

Atualmente trabalho como Administrador Público e Administro o Portal AnalistaTI, preciso buscar diariamente informações sobre tecnologia, administração e gestão pública, minha mesa de trabalho sempre tem revistas, artigos e livros técnicos para serem lidos, além é claro dos e-mails e informações que recebo dos grupos e comunidades virtuais que participo e centenas de e-mails que lotam minha caixa postal.

Para lidarmos com tamanha quantidade de informação é necessário definirmos e catalogarmos o que realmente vai agregar valor a nossos projetos, por isso é preciso classificar a informação recebida, fazer um planejamento e eliminar o supérfluo, somente assim a informação vai ser bem recebida e interpretada, não deixando um vazio e sentimento de falta de rendimento e produtividade.

É importante lembrar que a vida não é somente trabalho, nem estudo, tire um tempo para família, seus amigos e seja feliz, afinal é nos momentos de relaxamento que temos as melhores ideias.

 

Referências pesquisadas

Mal do século: síndrome do excesso de informação

O Excesso de Informação – A Neurose do Século XXI – Dr. Ryon Braga

 

Literatura recomendada:

Ansiedade de Informação – Wurman, Richard Saul

Ansiedade de Informação 2 – Richard Saul Wurman

Desejo de Status – Alain de Botton

A Arte de Fazer Acontecer – David Allen

 

Apps que uso e recomendo

Trello: Método kanbam e GTD
Evenote: Anotações
Toodledo: Gestor de Tarefas GTD
Google Calendar: Compromissos e Eventos

 

Crédito da imagem (pixabay.com)