Erro de comunicação

Erro de comunicaçãoOlha a confusão que uma conclusão precipitada pode causar. Em um determinado país foi criado um programa de incentivo à natalidade, pois o número de habitantes estava caindo e a proporção de idosos crescia assustadoramente.

Necessitando de mão de obra, o governo decretou uma lei que obrigava os casais a terem um certo número de filhos. Previa também uma tolerância de cinco anos após o casamento, fim dos quais, o casal deveria ter pelo menos um pimpolho.

Aos casais que no fim do prazo não conseguissem ter um filho, o governo destacaria um agente auxiliar para que a criança fosse gerada.
Neste cenário se deu o seguinte diálogo entre um casal:

MULHER: Querido, completamos hoje 5 anos de casamento!
MARIDO: É… Querida e, infelizmente não tivemos um filho sequer.
MULHER: Será que eles vão mandar o tal agente?
MARIDO: Não sei… Talvez mandem.
MULHER: E se ele vier?
MARIDO: Bem, eu não posso fazer nada.
MULHER: E eu, menos ainda…
MARIDO: Vou sair, já estou atrasado para o trabalho.

Logo após a saída do MARIDO, bateram à porta: TOC, TOC, TOC!!!! A MULHER abriu e encontrou um HOMEM de boa aparência à espera. (Tratava-se de um fotógrafo que saiu para atender um chamado de uma família que queria fotografar sua criança recém-nascida, mas que por um engano, errara o endereço procurado.)
E o seguinte diálogo se seguiu:

HOMEM: Bom dia! Eu sou…
MULHER: Ah, já sei! Pode entrar.
HOMEM: Obrigado. Seu esposo está em casa?
MULHER: Não. Ele foi trabalhar.
HOMEM: Presumo que esteja a par da minha vinda aqui?!…
MULHER: Sim, o meu marido também já está sabendo de tudo. E, eu concordo .
HOMEM: Ótimo. Então vamos começar

MULHER: Mas já? Tão rápido…
HOMEM: Preciso ser breve, pois tenho ainda 16 casas para visitar, ainda hoje.
MULHER: Minha nossa! O senhor aguenta?
HOMEM: O segredo é que eu gosto do meu trabalho, me dá muito prazer!
MULHER: Então vamos começar. Como faremos e onde você prefere?
HOMEM: Permita-me sugerir: – Uma no quarto, duas no tapete, duas no sofá e, uma em pé ao lado da mesinha do telefone

MULHER: Serão necessárias tantas?
HOMEM: Bem, talvez possamos acertar na mosca já na primeira tentativa.
MULHER: O senhor já visitou alguma casa neste bairro?
HOMEM: – Não, mas tenho comigo uma variedade de amostras do meu trabalho e… (mostrou algumas fotos de crianças).
– Não são lindas??
MULHER: Como são belos estes bebês! Foi o senhor mesmo quem fez?

HOMEM:Sim. Veja esta aqui, por exemplo, foi conseguida na porta do supermercado.
MULHER: Que horror! O senhor não acha muito público?
HOMEM: Sim, mas a mãe queria muita publicidade.
MULHER: Eu não teria coragem!!!
HOMEM: Esta aqui foi em cima do ônibus.
MULHER: Cacilda!!!

HOMEM: Foi um dos serviços mais difíceis que já fiz.
MULHER: Claro, eu imagino!
HOMEM: Esta foi feita no inverno, em um parque de Diversões.
MULHER: Credo! Como o senhor conseguiu? Não sentiu frio?
HOMEM: Não foi fácil! Como se não bastasse a neve caindo, tinha uma multidão em volta.Quase não consegui acabar.

MULHER: Ainda bem que sou discreta, e não quero ninguém nos olhando.
HOMEM: Ótimo, eu também prefiro assim. Agora, se me der licença, eu preciso armar o tripé.
MULHER: Tripé?!!!

HOMEM: Sim madame, pois o negócio, além de pesado, depois de armado mede quase um metro.
MULHER
desmaiou…

Quais as conclusões que tiramos dessa história?

Bem saber ouvir e falar corretamente é muito importante para ter sucesso nas relações, uma equipe bem equilibrada gera resultados ótimos, por isso uma comunicação efetiva onde emissor e receptor se interagem bem, produzindo feedback ou retorno, é crucial para tomar decisões concretas e menos suscetível a erros, garantindo sucesso para a organização.

Uma mensagem mal interpretada, como foi o caso da história anterior, pode gerar sérios prejuízos, pensa comigo, uma organização trabalha num novo projeto, a informação é passada, a mensagem é codificada erroneamente, gerando problemas na realização dos processos, afetando todo o andamento do cronograma. A organização precisará realizar tudo novamente, vai precisar de mais tempo, dinheiro e uma equipe bem treinada para evitar novos problemas.

Enfim a comunicação é importante em todos os ambientes, na família, no trabalho, nas relações sociais. Por isso ouça atentamente seus parceiros, interaja com eles, produza feedback, com certeza o sucesso é garantido, pois a comunicação eficiente é o alicerce principal.

Fabrício Basto

Fabrício Cristiam Basto, nascido e criado no interior do Espírito Santo, em São Gabriel da Palha, você conhece? Ache no Google Maps! Sou formado em Administração de Empresas com ênfase em Análise de Sistemas – CRA: 9009, com especialização em finanças, tecnologia da informação e gestão pública. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/3014017071032681

Este post tem 4 comentários

  1. muito boa kkkk

  2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk… nossa muito comico esta história….adorei mesmo. Realmente uma falha na comunicação pode causar desastres irreversíveis…

  3. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Mto baum! Adorei seu blog! Vou assinar o feed! Feliz 2000inove =D

  4. Fabrício,

    Perfeito este seu post…além de engraçado é um alerta para toda a área de informática (principalmente desenvolvimento) que tem várias falhas de comunicação no decorrer de projetos.

    Neste caso um analista de sistemas fera e uma equipe atenta, minimizam estas falhas.

    Grande abraço!

Deixe uma resposta

Fechar Menu