Banda larga? Não, bem curta!

A internet que as operadoras dizem ser banda larga[bb], na verdade está muito curta e lenta, nas várias regiões do Brasil, o serviço anunciado quase nunca é garantido, contratos não garantem nada para os clientes, que sofrem com uma internet muito precária.

O desenvolvimento da banda larga é primordial para alavancar a computação em nuvem, uma tecnologia inovadora que depende exclusivamente de uma internet de qualidade para se desenvolver no Brasil.

[ad#Adsense3]

 

Ontem no Fantástico da TV Globo foi apresentado um estudo que mostra como é precário os serviços ofertados. Foram testadas várias operadoras nas principais capitais brasileiras e resultado é muito alarmante.

Cade o PNBL – Plano Nacional de Banda Larga, que promete internet de qualidade em todo o Brasil, para seu desenvolvimento, primeiro é preciso criar regras mais rígidas, para que as operadoras prestem um serviço de qualidade e barato para seus clientes.

Segundo a pesquisa, todas as operadoras avaliadas apresentaram problemas. Contrato foi quesito com maior número de irregularidades. A análise foi feita em parceria com a Agência Nacional de Telecomunicações, a Anatel, e o Comitê Gestor da Internet, que monitora o funcionamento da rede no nosso país.

As operadores testadas foram:

São Paulo – Virtua e Speedy.

Rio de Janeiro – Virtua e Velox.

Belo Horizonte, Virtua, Velox e GVT.

 

Veja a matéria completa!

 

 

É preciso fazer um teste com a Banda Larga 3G[bb], que também é campeã de reclamações.

Se você está pagando por um serviço de péssima qualidade, reclame, é direito seu, ligue para a Anatel, disque 1331 e 1332 e faça sua reclamação, somente com informações a agência poderá tomar atitudes para melhorar os serviços ofertados.

Sua internet banda larga é realmente larga? Deixe sua opinião!

Fabrício Basto

Fabrício Cristiam Basto, nascido e criado no interior do Espírito Santo, em São Gabriel da Palha, você conhece? Ache no Google Maps! Sou formado em Administração de Empresas com ênfase em Análise de Sistemas – CRA: 9009, com especialização em finanças, tecnologia da informação e gestão pública. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/3014017071032681

Este post tem 7 comentários

  1. Pois eh, no Baasil sofremos com uma infra precária, temos que exigir nossos diretos.

  2. E o pior é que essa taxa é de SÃO PAULO/SP… um lugar que DEVERIA ter infra decente…

  3. Varia de acordo com a região do Brasil, o lugares sem infraestrutura são bem precários de banda larga com velocidade.

  4. Nossa, o sonho de todo brasileiro é ter internet acima de 10 mbit, a realidade aqui no brasil é bem diferente, agora que temos serviços dignos, mas sem muita qualidade. Infelizmente temos que ficar dependendo das operadoras, que nunca forcecem um serviço de qualidade. A tendência é mudar, esperamos que o PNBL dê certo, somente assim vai acirrar a concorrência e melhorar os serviços ofertados. Abraços e Sucesso!

  5. Aqui em Portugal, o regulador nacional equivalente à ANATEL, confirmou que a banda é de facto larga, mas quanto maior for a velocidade contratada, maior é a diferença entre a velocidade real.
    Por exemplo, se 12Mbit/s ou 24Mbit/s contratados, são de facto reais, já a 50 ou 100Mbit/s contratados, a LB real chega a ser metade disso.
    Por outras palavras, quanto mais se paga pelo acesso domestico à Internet, mais se é roubado pelo ISP/provedor.
    Em acesso móvel 3G as diferenças são mais significativas e muito variáveis entre operador.

    É por isso que eu só tenho em casa um acesso de fibra óptica a 12Mbit. Podia ter a +100mbit, mas para alem de ser muito mais caro, estaria de facto a ter um produto falsificado.

Deixe uma resposta

Fechar Menu