Tendências Tecnológicas para 2015A cada ano a tecnologia avança e traz consigo uma gama de terminologias e novas teorias que devem ser analisadas pelos CIOs, principalmente no se refere a internet e privacidade, pois a sociedade vive a era da interconectividade, onde tudo é real time, não deixando margem para erros ou vazamento de informações.

No último ano ocorreram vários incidentes de segurança e tentativas dos governos de amenizar isso, um exemplo é o marco civil da internet, que ainda precisa ser regulamentado. O que esperar para o ano que se inicia? Indiquei alguns assuntos que serão destaques neste ano:

Privacidade dos dados

Vazamentos de informações pessoais vão ficar mais comuns. Os usuários dos serviços on-line, na maioria das vezes não leem a política de privacidade do serviço e acaba fornecendo informações que poderão gerar problemas no futuro.

O maior problema da tecnologia não são seus riscos, é a ingenuidade dos usuários. É necessário que as entidades e escolas conscientizem as pessoas sobre os riscos da exposição na internet, uma foto vale mais que mil palavras e gera consequências para toda vida.

É claro que simplifica a vida ter uma senha simples que se repete. Dá trabalho entender todos os controles do celular e optar ou não por fazer backups. Bancos não têm insistido em biometria e tolkens à toa. Muitas vezes o usuário realiza operações que expõe informações sem saber, tornando um alvo fácil para criminosos e chantagistas.

 

Segurança e espionagem virtual

Na espionagem realizada pela NSA no EUA e desmascarada pelo ex-agente Edward Snowden, ficou evidente que estamos sendo vigiados e que qualquer conversa em um telefone ou num e-mail podem ser facilmente interceptadas por governos e crackers do mal.

Neste ano não vai ser diferente, os ataques aumentarão de forma massiva, coletando informações de forma mais oculta, para atrapalhar usuários, governos e mercados. Os cibercriminosos continuarão a atuar mais como espiões virtuais, concentrando-se em monitorar sistemas e coletar informações de alto valor sobre pessoas, propriedade intelectual e inteligência operacional.

Com essa onda de ataques terroristas no mundo, o cibercrime ou “ciberterrorismo” ficará mais evidente, os serviços mais utilizados pela população serão alvo de ataques por negação de serviço, trazendo enorme problemas ou desastres catastróficos. Imagine um ataque a uma central de controle de tráfego numa grande cidade ou na rede central de distribuição de rede elétrica, são prejuízos enormes que irão afetar muitas pessoas.

 

Políticas concretas nas empresas

As empresas precisam investir ainda mais em segurança da informação, principalmente na educação e treinamento dos seus colaboradores, para que todos saibam os reais perigos do uso indiscriminado da internet dentro e fora da empresa.

É preciso criar uma Política de Segurança da Informação  aliada com rotinas de prevenção, com o objetivo de proteger os ativos de informação do negócio.

O crescente uso dos Dispositivos Mobile conectados nas empresas Consumerização de TI , devem ser observados pelos CIOs, para barrar ou permitir o uso dos dispositivos, se sim, é preciso definir políticas de BYOD (Bring Your Own Device), traduzindo, “traga seu próprio dispositivo”, sempre com regras e políticas claras, maximizando os resultados.

Para finalizar, é preciso educação e investimento em segurança da informação, tanto pelas empresas, quanto pelo governo. A maioria das pessoas que são afetados por crimes cibernéticos são lesadas, na maioria das vezes, por falta de informação, por usar a internet sem cautela, isso é pesquisa, dados concretos. As redes sociais e sites divulgam suas informações, sua localidade, seus dados pessoais e passam essas informações para o mercado capitalista, cria-se um ciclo vicioso, onde quem sai perdendo são os usuários, que muitas vezes concordam com tudo isso (mesmo sem saber).

 

Internet das Coisas

A internet das coisas nada mais é que a integração da internet e a comunicação com o mundo físico, o seu uso vai proporcionar integração, praticidade e redução de custos, pois teremos mais controle sobre os objetos. São utilizados várias tecnologias em conjunto, tais como sensores, RFID, redes wireless e outras. Um exemplo clássico é a casa do futuro, todos os equipamentos e eletrodomésticos são controlados a distância, as pessoas sabem em tempo real como está a casa, qual equipamento está gastando mais energia, o que pode melhorar para garantir a eficiência energética da casa e muito mais.

No ano de 2015 teremos mais lançamentos de tablets, smartphones, óculo, relógios e pulseiras inteligentes, além de vários equipamentos conectados, que proporcionarão um avanço considerável na utilização integrada e conectada da internet das coisas. Diante disso o cuidado com as informações geradas precisa ser redobrado, para que não sejam roubadas ou interceptadas por criminosos. Segundo a Discovery News, a segurança de nossos dados dependerá cada vez mais de acessórios como carteiras que impedem a leitura de cartões de crédito por RFID, além de jaquetas, malas e calças que bloqueiam sinais de dispositivos eletrônicos.

 

Crescimento da nuvem

A computação em nuvem proporciona praticidade e economia para as empresas, quando utilizada de maneira correta e consciente.

Um erro comum no uso da nuvem é não estudar a política de privacidade do serviço e analisar o histórico da empresa contratada, é preciso muito cuidado na contratação desses serviços, os CIOs precisam entender que as informações gerenciais primordiais para o negócio não podem correr riscos de segurança. A inovação traz melhorias sim, mas é necessário sempre avaliar os prós e contras dos serviços oferecidos.

O custo não deve ser fator decisivo, deve avaliar o quanto dispendiosa será o gerenciamento e disponibilidade no ambiente em nuvem, as empresas devem se perguntar, vamos investir em recursos humanos e treinamento ou focar mais no negócio e investir numa tecnologia em nuvem.

Em 2015 veremos um crescimento na venda de relógios inteligentes, tablets, smartphones e sensores em todos os equipamentos, conectados na internet 24 horas, 7 dias por semana, o que vai intensificar os investimentos na nuvem, para que tudo tenha um suporte de qualidade e os consumidores possam utilizar os serviços sem problemas, além de observar a segurança dos dados.

 

Aumento da Pirataria

A pirataria online sempre foi enxergada como fator de gigantescos prejuízos, neste ano não vai ser diferente, com o desenvolvimento da infraestrutura e melhoria dos links de internet, principalmente no Brasil, o download ilegal de filmes ira crescer, principalmente via torrent, é preciso falar sobre torrent e se atentar ao uso das novas formas da mídia e enxergar novos mercados.

O governo brasileiro, através do CGI, iniciou chamada de contribuições objetivando buscar opiniões dos setores da sociedade, governo, setor empresarial, pesquisadores técnicos e acadêmicos e o terceiro setor para regulamentação do Marco Civil da Internet, através do portal http://marcocivil.cgi.br/, esperamos que as opiniões sejam colocadas efetivamente em prática, sem transfigurações.

A pirataria precisa ser estudada, o mercado precisa mudar e acabar com o modelo atual e arcaico de distribuição de conteúdo.

 

Elenquei algumas previsões que trarão inovações ou problemas em 2015, cada CIO deve estudar, avaliar e planejar adequadamente, caso a caso, para que tudo seja aproveitando ao máximo, com custo benefício consideravel.

 

Gostaria de deixar alguma sugestão, ideia, crítica ou encontrou algum erro neste artigo? Deixe um comentário.

Fique atualizado!

Fique atualizado!

Deixe seu e-mail abaixo e receba conteúdo exclusivo do blog.

You have Successfully Subscribed!