Com a grande disputa no mercado de trabalho, ninguém é insubstituível na empresa.

Contudo, é possível ser imprescindível, ou seja, um profissional[bb] que o chefe faz questão de ter em sua equipe e que fará de tudo para mantê-lo, inclusive, dar uma promoção. E o segredo para chegar a esse nível está na atitude.

“O profissional deve ser criativo e, ao mesmo tempo, comunicativo, caso contrário, ele guardará suas ideias e não conseguirá pô-las em prática”, ressalta o diretor Administrativo e de Gestão de Pessoas da Lorenge, Nilson da Silva.

[ad#Adsense1]

De acordo com ele, outra característica fundamental é o engajamento. “O funcionário engajado é aquele comprometido com a empresa, que a defende mesmo em momentos difíceis”, justifica.

O gestor também aponta competências como resiliência, atualização e bom  relacionamento como de suma importância para o crescimento do profissional. “Mas não basta ser uma pessoa legal. É preciso que essas características gerem valor para a empresa”, explica.

Além disso, não se pode esquecer das qualidades técnicas. “O profissional deve ser preparado para o mercado que está atuando. Não só conhecimento técnico específico, mas tudo que envolve o seu ambiente de trabalho”, diz.

E se engana quem pensa que a chefia não observa essas atitudes em seus funcionários.
“As empresas de ponta têm ferramentas que identificam essas competências e, então, existe um feedback para que a pessoa saiba como anda sua evolução no trabalho. Os bons resultados podem ajudar em 100% em uma promoção”, garante.

Síndrome do insubstituível
Um grande erro é o funcionário se achar insubstituível dentro da empresa. “É aquela pessoa que acha que entende de tudo, que quer impor suas regras e não gosta de compartilhar ideias”, alerta o gerente geral de Recursos Humanos do Grupo Dadalto,
Wilson Rentes.

Para ele, muita gente deixa de crescer na carreira exatamente por medo de perder a posição que ocupa dentro da organização. “Com isso ela não prepara sucessores. Daí, quando surge uma chance de promoção, ela fica para trás porque não preparou ninguém para assumir seu posto atual. Mas sempre há tempo para mudar”, finaliza.

Profissional deve se tornar referência
Para alguns consultores de carreira, o profissional atinge o ponto ideal no trabalho quando ele passar a ser uma referência, tanto dentro da empresa quanto fora dela.
“Quando um funcionário consegue fazer isso, ou seja, personificar a empresa em que atua, ele certamente é reconhecido por seus colegas de trabalho. Dessa maneira, passa a exercer influência positiva sobre os demais profissionais”, diz o especialista em carreira,
Renato Grinberg.

Para chegar a esse ponto, será importante investir em comunicação[bb]. “Torne seus feitos conhecidos. Não adianta criar resultados positivos se ninguém os reconhecer, principalmente seus gestores. Sendo assim, trabalhe muito bem com as ferramentas de comunicação que tiver a sua disposição”, ressalta Grinberg.

Outra dica dada pelo consultor é que o profissional se esforce para viver os valores da empresa. “Há alguns anos, era importante reconhecer os valores da sua organização.
Hoje, o mínimo necessário para o sucesso é que as pessoas vejam em sua  atuação aquilo que atribuem como valor para a marca que representa”, afirma.

E para ter bons resultados o especialista sugere que a pessoa invista naquilo que ela é realmente boa. “Saber aquilo em que você é realmente bom vai ajudá-lo na criação e execução de projetos arrojados. Assim ficará mais fácil obter resultados além do esperado e acima da média”, diz.

Cristiano Stefenoni
[email protected]

Fique atualizado!

Fique atualizado!

Deixe seu e-mail abaixo e receba conteúdo exclusivo do blog.

You have Successfully Subscribed!